18 de fevereiro de 2014

AGNES - Veritas


Pop Music
2012
Bitrate 256 kbps
[cd quality]

Agnes Emillia Carlsson, mais conhecida como Agnes ou Agnes Carlsson, é uma cantora e dançarina sueca que ganhou a segunda temporada do reality show Idol em 2005. Após vencer, passou a ser uma das cantoras mais populares da Suécia e de best-sellers feminino, vendendo mais de 180 000 álbuns em seu país. Agnes começou a cantar desde pequena. A primeira vez que ela cantou solo com a canção "Jul, Jul brilliant in July" todos da platéia estavam atentos, e se emocionaram. Em sua cidade natal Vänersborg. Agnes cantava no coro de voz. Na Primavera de 2005, com apenas 17 anos, Carlsson fez a audição para entrar na segunda temporada da versão sueca do reality show Idol em Gotemburgo, cantando "Varje Gang Jag Ser Dig" de Lisa Nilsson. Os quatro jurados ficaram extremamente impressionado com sua potência vocal e com muito sucesso, conseguiu passar pelas fases do concurso. Sua voz continuou a impressionar, até as semifinais. Para o desânimo dos jurados, Carlsson não se classificou entre os onze candidatos, mesmo tendo uma segunda chance, os jurados decidiram lhe dar um "wildcard". Apesar deste revés, Carlsson fascinou tanto os juízes e ao público durante todos os finais de semana com resultado feito na grand finale. Com 57% de votos pelo público, ela derrotou o concorrente Sebastian Karlsson e venceu a segunda temporada do Sweden Idol. Atualmente, ela é um dos concorrentes que ganhou com apenas 4 "wildcards" que ganharam o Idol no Mundo. Ela foi precedida por Ryan Malcolm no Canadá, 2004, e no mesmo ano o cazaque Almas Kishkenbayev, e seguido em 2007 pela australiana Natalie Gauci. [Fonte: wikipedia]

Agnes Carlsson Emillia, better known as Agnes or Agnes Carlsson is a Swedish singer and dancer who won the second season of the reality show Idol in 2005 . After winning, became one of the most popular singers of Sweden and female bestsellers, selling over 180,000 albums in your country. Agnes started singing since childhood. The first time she sang solo with the song " Jul, Jul brilliant in July" all the audience were attentive and were moved. In his hometown Vänersborg. Agnes sang in the choir voice. In spring 2005, aged just 17, Carlsson auditioned to get into the second season of the Swedish version of the reality show Idol in Gothenburg, singing " varje Gang Jag Ser Dig " by Lisa Nilsson. The four judges were extremely impressed with her vocal power and very successfully managed to pass through the stages of the competition. His voice continued to impress until the semifinals. To the dismay of the judges, Carlsson did not qualify among the eleven candidates, even getting a second chance, the jury decided to give you a " wildcard ". Despite this setback, Carlsson wowed both the judges and the audience during every weekend with results done in grand finale. With 57 % of votes by the public, she defeated Sebastian Karlsson competitor and won the second season of Idol Sweden. Currently, she is one of the competitors who won with only 4 " wildcards " that won the World Idol. She was preceded by Ryan Malcolm in Canada, 2004 and the same year the Kazakh Souls Kishkenbayev, and followed in 2007 by Australian Natalie Gauci. [Source : wikipedia]

Total Time: 40 min

17 de fevereiro de 2014

OS DIAGONAIS - Cada Um Na Sua [Recomendado]


Soul Music
1971
Bitrate 320 kbps
[cd quality]++


Os Diagonais tiveram carreira curta, lançando apenas dois discos. Ambos na virada da década. O Soul no Brasil influenciava tímidamente os músicos na década de 60. Dificuldades de conseguir os discos e o sucesso do samba e do rock, fizeram o ritmo chegar tardiamente. Ainda sim, haviam verdadeiros heróis que buscaram esta sonoridade até então pouco conhecida pelo grande público. Os Diagonais foram um destes baluartes e talvez tenham pago um preço alto por serem pioneiros. Começaram, inicialmente, como Bossa Trio, em 64, tendo um jovem Hyldon entre os integrantes. Com este nome, a banda gravou vários singles mas não conseguiu o destaque esperado. Ainda nesta década, mudaram de nome e diretrizes, formando então Os Diagonais. O grupo mantinha a base do Bossa Trio com Cassiano, seu irmão, Hyldon e ganhava novos membros. A formação, que mudava constantemente, contou com gente do naipe de Luís Wagner, o pianista Osmar Milito e até Carlos Dafé. Só feras. O disco de estréia, lançado em 69, ainda era uma amostra do som que estava por vir. Basicamente feito de Pout-pourri, mostrava um Cassiano ainda tímido nas composições. O LP contava apenas com duas canções do baiano e o restante de números consagrados da música brasileira. De Ary Barroso a Caetano, o disco possuía uma aura de pilantragem nos arranjos. Mesmo não primando pela originalidade, ainda existíam momentos de brilho em tracks como “Não dá pra entender” e a divertidíssima Clarimunda, ambas compostas por Cassiano. “General da banda”, famosa por Ivan Lins, também ganhava uma bonita versão num disco que mostra Os Diagonais ainda bem crus. Sob a batuta do baiano Cassiano, lançariam em 71, um dos discos mais importantes do Soul brasileiro: Cada um na sua. Com 14 pedradas variando dos sons mais rápidos às baladas, conseguiam misturar poderosos arranjos de metais e deliciosas harmonias vocais. Alguns, devido a força dos metais, comparam a banda com conjuntos da Motown. Não estão errados, mas os caras também passeavam livremente entre o Doo Wop, Samba e o recém criado Funk. Tudo sem ficar preso a nenhum deles, criaram uma identidade própria. Ainda assim, é possível sentir o sabor de Detroit em canções como “Sai de lado”, com metais em ataque emoldurando belos backing vocals. As lentas “Vou perder você”, “Eliana” e a música que dá titulo ao LP, mostram o potêncial vocal dos integrantes que se consagrariam em suas carreiras solo. Destaque também para a funkíssima “Novos Planos para o verão” e sua letra com refrão chiclete e a quase abstrata “Tema de Fanny”, um instrumental agoniante e que abusa das repetições ritmicas. Demais. Se o disco não ajudou a banda a estourar, pelo menos conseguiu aproxima-la de Tim Maia, recém chegado dos EUA e com fome de sucesso. Os Diagonais foram sua back band nos primeiros discos e responsáveis diretos pelo sucesso do cantor. No entanto, depois de “Cada um na sua”, a banda, mesmo tocando com um dos maiores cantores do país na época, chegou ao fim. Com os projetos solo de Cassiano, Hyldon e a ruptura com Maia, a banda perdeu seu rumo. Seus dois discos hoje em dia viraram artigos raríssimos em sebos e são disputados a tapa pelos gringos. A redescoberta do som, ainda que tardia, felizmente aconteceu. Mas falta muito para este grupo ter seu devido reconhecimento e não ser apenas lembrada por ser a primeira banda de Cassiano e Hyldon. [Ceditos: colectivoaction]

The diagonals were short career, releasing only two albums . Both the turn of the decade . The Soul in Brazil tentatively influenced musicians in the 60s . Difficulties of getting the discs and the success of samba and rock , made ​​the pace to arrive late . Still, true heroes who had sought this sound hitherto little known by the general public . The diagonals were one of the bastions and may have paid a high price for being pioneers . Began initially as Bossa Trio , at 64 , having a young Hyldon among members . With this name , the band recorded several singles but failed to highlight expected . This decade , changed names and guidelines , then forming the diagonal . The group held the base of Bossa Trio with Cassian , his brother , and earned Hyldon new members . The training , which was constantly changing , we had the suit of Louis Wagner , pianist Osmar Milito and Carlos Dafé up . Only beasts . The debut album , released in '69, was also a sample of the sound that was coming. Basically made of Pout - pourri , showed an even shy Cassiano in the compositions . The LP had only two songs from Bahia and the rest of established figures in Brazilian music . Ary Barroso Caetano , the disc had an aura of malfeasance in arrangements . Even without striving for originality, there were still moments of brilliance in tracks like " Can not you understand " and amusing Clarimunda , both composed by Cassian . "General of the band " , famous for Ivan Lins , also won a beautiful version on a disc that 's still pretty raw shows diagonals . Under the baton of Bahia Cassiano , would launch in 71 , one of the most important albums of Brazilian Soul : Each to their own . With 14 stones ranging from ballads to faster sounds , could mix powerful horn arrangements and delicious vocal harmonies . Some , because of the strength of metals , compare the band with sets of Motown . Are not wrong , but the guys also walked freely among the Doo Wop , and the newly created Samba Funk . All without being tied to any of them , have created their own identity . Still , you can feel the taste of Detroit in songs like " Out of hand " with metal framing attack in beautiful backing vocals . Slow " I will miss you " , " Eliana " and the song that gives title to the LP , show the potential of the vocal members who consecrate in their solo careers . We also emphasize the funkíssima " New Plans for the summer " and his letter with bubblegum chorus and almost abstract "Fear of Fanny ," a distressing instrumental and abusing the rhythmic repetitions . Too . If the disc has not helped the band to burst, at least it got closer to Tim Maia , newcomer U.S. and hungry for success. The diagonals were a band back in the early discs and directly responsible for the success of the singer. However , after " Each to their own ," the band even playing with one of the greatest singers of the country at the time, came to an end . With solo projects Cassian , Hyldon and break with Maia , the band lost its way . His two albums nowadays rare items turned in bookstores and are played by slapping the gringos . The rediscovery of the sound , if belated , fortunately happened . But be long for this group to have its due recognition and be remembered not only for being the first band of Cassian and Hyldon . [ Ceditos : colectivoaction ]

Total Time: 39 min

12 de fevereiro de 2014

MARCELA BIASI - Arrastando Maravilhas


MPB
2004
Bitrate: 256 kbps
[Cd Quality]+

De vez em quando surge uma nova promessa na música brasileira que, prontamente, ganha aceitação da crítica e do público e o apadrinhamento de algum artista veterano. A cantora e compositora Marcela Biasi preenche todos os requisitos e já é conhecida como a nova queridinha da MPB. A estréia, intitulada “Arrastando Maravilhas”, é bem simples, mas ao mesmo tempo traz arranjos refinados e uma certa sofisticação. Com a aprovação e a participação especial de Zélia Duncan (a quem o trabalho foi dedicado), a carioca Marcela Biasi chegou rapidamente ao seu primeiro contrato e já entrou na lista das músicas mais tocadas no Rio de Janeiro. A faixa-título, por exemplo, é o grande destaque do álbum, mas foi assinada por Kali C. e Alexandre Lemos. “Me Basta”, outra bastante comentada, conta com a ajuda e a voz de Zélia Duncan, enquanto que “O Que Penso” foi feita ao lado do violonista Torcuato Mariano, também responsável pela produção do disco. Adriana Calcanhotto compôs “O Amor Me Escolheu” e Biasi ainda gravou “Por Perto”, do Pato Fu. O fato é que “Arrastando Maravilhas” é, sim, um álbum muito bom para quem gosta de uma voz serena sobre bonitos acordes de violão e dedilhados de piano. Mas a impressão que fica é que isso se dá, principalmente, devido ao time de músicos e compositores escalados. Marcela Biasi acaba fazendo mais um papel de intérprete, já que as canções maior expressão não são dela. Talvez com mais algum tempo de estrada ela se sinta segura o suficiente para assumir a obra sozinha e deixar as participações e parcerias apenas como um atrativo e não como uma obrigação. [Creditos: territoriodamusica]
 
Occasionally a new promise in Brazilian music that readily gain acceptance from critics and the public and sponsorship from some veteran photographer arises . The singer -songwriter Marcela Biasi meets all requirements and is now known as the new darling of MPB . The premiere , titled "Dragging Wonderland" is pretty simple , but at the same time brings refined arrangements and a certain sophistication . With the approval and participation of particular Zelia Duncan (whom the work was dedicated) , the Rio Marcela Biasi arrived quickly to his first contract and has entered the list of most played songs in Rio de Janeiro . The title track , for example , is the highlight of the album, but was signed by Kali C. and Alexandre Lemos . " Just Me " , another well commented , has the help and the voice of Zelia Duncan , while " What I believe " was taken by guitarist Torcuato Mariano hand , also responsible for producing the disc. Adriana Evans wrote " Love Me Chose " and Biasi also recorded " Close by ," Pato Fu . The fact is that "Dragging Wonderland " is , yes , a very good album for those who enjoy a quiet voice over beautiful guitar chords and fingerings piano . But the impression is that this happens mainly due to the team of musicians and composers scaled . Marcela Biasi end up doing another role as interpreter , since the songs are not her greatest expression . Maybe with some more road time she feels safe enough to take on the work alone and let the holdings and partnerships just as attractive and not as an obligation. [Credits : territoriodamusica]

Total Time: 51 min