10 de julho de 2020

RAGE AGAINST THE MACHINE - Rage Against The Machine [Recommended]


Rap Metal
1992
Bitrate: 256 kbps
[cd quality]+

Total Time: 54 min

MADONNA - MDNA


Pop Music
2012
Bitrate: 256 kbps
[cd quality]+

Total Time: 51 min

NA PEGADA DO ARROCHA - Na Pegada Do Arrocha


Arrocha
2013
Bitrate: 256 kbps
[cd quality]+

Total Time: 44 min

MADELEINE PEYROUX - Half The Perfect World


Folk
2006
Bitrate: 256 kbps
[cd quality]+

Total Time: 49 min

MACHINE HEAD - Burn My Eyes


Groove Metal
1994
Bitrate: 256 kbps
[Cd Quality]+

Total Time: 62 min

JAIR RODRIGUES - Intérprete


Samba
2002
Bitrate: 256 kbps
[cd quality]+

Teve várias profissões durante a juventude, no interior de São Paulo. Foi engraxate, mecânico, pedreiro etc. até participar de um programa de calouros da Rádio Cultura e se classificar em primeiro lugar. A partir daí passou a atuar como crooner em casas noturnas, radicando-se na capital paulista em 1960. Lançou compactos e o LP "O Samba Como Ele É", contendo a música "O Morro Não Tem Vez", que Tom e Vinicius, o primeiro sucesso lançado pelo cantor. Seu nome tornou-se mais conhecido a partir de 1964, quando gravou o grande sucesso "Deixa Isso pra Lá" (Alberto Paz/ Edson Menezes), considerado uma espécie de precursor do rap, por ter uma parte falada, em ritmo funkeado. Em 1965 conheceu Elis Regina e gravou com ela três LPs ao vivo, "Dois na Bossa", volumes 1, 2 e 3. O sucesso foi tanto que Elis e Jair passaram a comandar um programa da TV Record, O Fino da Bossa, um dos mais importantes musicais da televisão brasileira. Participou também de festivais, dividindo em 1966 o primeiro lugar no Festival da Record. Sua interpretação de "Disparada" (G. Vandré/ T. Barros) empatou com "A Banda" de Chico Buarque. No mesmo ano lançou um de seus maiores sucessos, "Tristeza" (Niltinho/ Haroldo Lobo). Também atuou em festivais no exterior, como Montreux e San Remo. Outras músicas que se tornaram populares na voz de Jair Rodrigues foram "Triste Madrugada" (Jorge Costa), "Casa de Bamba" (Martinho da Vila), "Tengo-Tengo (Mangueira, Minha Querida Madrinha)" (Zuzuca) e "Vai, Meu Samba" (Ari do Cavaco/ Otacílio de Souza). [Creditos: cliquemusic]

Had several jobs during youth , in São Paulo . Was shoe mechanic , mason etc. . to participate in a program for freshmen Radio Culture and qualify first. Since then he has acted as a crooner in nightclubs it, rooted in the state capital in 1960 . Compact and released LP " The Samba As It Is " , containing the song " The Hill Has No Time," Tom and Vinicius , the first successfully launched by the singer . His name has become better known since 1964 , when he recorded the hit " let it go " ( Alberto Paz / Edson Menezes ) , considered a kind of precursor to rap for having a spoken part in funkeado pace . Elis Regina met in 1965 and recorded three albums with her live , " Two Bossa " , Volumes 1 , 2 and 3 . It was so successful that Elis and Jair started to operate a program on TV Record , O Fino da Bossa , one of the most important music of Brazilian television . He also participated in festivals , sharing first place in 1966 at the Record Festival . His interpretation of " Shot " ( G. Vandre / T. Barros ) drew with " The Band " by Chico Buarque . In the same year launched one of their biggest hits , " Sadness " ( Niltinho / Haroldo Lobo ) . He also served in festivals abroad, such as Montreux and San Remo . Other songs that became popular in the voice of Jair Rodrigues were "Triste Madrugada " ( Jorge Costa ) , "Casa de Bamba " ( Martinho da Vila ) , " Tengo - Tengo ( Hose , My Dear Godmother ) " ( Zuzuca ) and "Go , My Samba " ( Ari Cavaco / Otacílio de Souza ). [Credits : ABM ]

Total Time: 71 min

P.O.D. - The Fundamental Elements Of Southtown


Nu Metal
1999
Bitrate: 256 kbps
[cd quality]+

Total Time: 58 min

MARCELO D2 - A Procura Da Batida Perfeita [Recomendado]


Hip-Hop
2003
Bitrate: 256 kbps
[cd quality]+

Marcelo D2 nasceu em 5 de novembro de 1967, na zona norte do Rio de Janeiro. Carioca da gema quente dos bairros dos vales da cidade, escondido dos cartões postais e longe das calçadas ricas da beira-mar. Moleque ativo criado entre o morro e o asfalto do Andaraí, transitando na linha fina que separa um garoto de cair na marginalidade. Trabalhando e se virando desde os 13 anos, D2 é um daqueles casos de menino que nasce com uma estrela latejante de talento e “sagacidade”. Foi porteiro, camelô, faxineiro, entregador de jornais, vendedor de móveis, office boy. Vivia onde podia, como podia e ia levando. Todo sinal de fracasso revertido em sucesso em dobro. Sair de casa cedo o manteve circulando. Seus amigos de infância que ficaram no mesmo bairro acabaram sendo consumidos pelo tráfico de drogas e pouco a pouco D2 perdeu grandes amigos em confrontos armados. Serviu ao exército e logo após foi morar com sua namorada, aos 19 anos. As convivências diversas que teve durante os anos de adolescência e juventude frutificaram numa ampla influência de ritmos e estilos musicais, que mais tarde tornaram-se evidentes em suas músicas. O Planet Hemp teve seu embriäo plantado nas ruas do Catete, no encontro casual entre D2 e Skunk no início dos anos 90. D2 usava uma camiseta do Dead Kennedys que foi a responsável pelo início da conversa entre os dois. Skate, punk rock, underground, maconha e atitude, muita atitude. O nome da banda foi tirado da revista americana High Times, especializada em cannabicultura. Mais tarde, se juntaram a Skunk e D2, Rafael (guitarra), Formigäo (baixo) e Bacalhau (bateria). Com a morte de Skunk, D2 näo quis encerrar a banda chamou companheiros seus das noites e shows cariocas para dividir os vocais e entraram na banda Black Alien e B Negäo. O começo oficial da banda foi em 1994. E em 1995 lançaram o primeiro disco, “Usuário” que sozinho vendeu mais de meio milhäo de discos. Os álbuns seguintes “Os Cäes ladram mas a Caravana näo Pára” (1997), “A invasäo do Sagaz Homem Fumaça” (2000) e “MTV Ao Vivo Planer Hemp” (2001) receberam o título de disco de platina e juntos venderam quase dois milhões de cópias. Planet Hemp teve uma carreira sólida e bombástica e eles se apresentaram para platéias de todo o Brasil e ainda passaram pela Europa, Japäo e Estados Unidos. Como um dos líderes e fundadores da banda, D2 inaugurou no país um rock contestador, pesado e rico em influências, que terminou de vez com o rock comportado dos anos 80 e atualizou o país no cenário internacional. Com o término da banda, D2 sentiu que era hora de buscar seu caminho em busca de seu próprio som. Ele já havia dado seus primeiros passos nessa direçäo com o lançamento de seu primeiro disco solo, “Eu Tiro É Onda” (1998). No disco ele colocou letras que falam sobre sua experiência de vida sobre uma cama musical essencialmente de hip hop, mas com um tempero de samba e malandragem. O sucesso do disco imediato e as vendagens ultrapassaram 150 mil cópias. Em 2004 ele pegou suas próprias músicas e desconstruiu beat e batucada e colocou uma banda de 23 músicos no palco. Uma orquestra para “desplugar” o hip hop, que por ter nascido “plugado” em pickups e samples foi reinventado ao renascer nas idéias de D2. Ele lançou entäo o Acústico MTV Marcelo D2, com uma coletânea de seus sucessos dos discos anteriores em versões acústicas. Ao vivo e com muita percussäo e uma banda afinada, D2 deu uma sonoridade ainda mais contagiante para suas músicas. A banda saiu em turnê e nas andanças pelo mundo e pelo Brasil D2 foi reunindo o material para seu mais recente lançamento. Seu terceiro disco solo é “Meu Samba é Assim”. Nele, D2 traz música com a sua cara nas 15 faixas inéditas. Durante meses, D2 recebeu uma quantidade enorme de bases de diferentes DJs de todo o país que se transformaram em seu disco mais elaborado, com sua mistura característica de samba e hip hop com a elegância do malandro e a sagacidade do mano. Nele participam estrelas de ambos os mundos que ele transita como Zeca Pagodinho, Alcione e Arlindo Cruz do Samba e Charli Tuna e Marechal do Rap. O disco foi lançado em Maio de 2006 e desde sua finalizaçäo em janeiro a expectativa da crítica e dos fäs já era grande. Em junho o disco já foi lançado também em Portugal e os demais países da Europa lançam o disco durante o veräo europeu. Logo após o lançamento, D2 embarcou em uma turnê de dois meses pela Europa durante a Copa do Mundo. Essa turnê é a maior de um artista brasileiro na Europa e Estados Unidos até hoje. Nela D2 se apresentou em festivais renomados como Montreux, na Suíça, Roskilde na Dinamarca, Womex na Inglaterra e ainda se apresentou para 15 mil pessoas em Los Angeles, no tradicional Hollywood Bowl. No exterior, é grande a procura por seus discos, principalmente em vinil. D2 se tornou uma referência para os DJs internacionais como o nome mas expressivo da vanguarda da música brasileira. Sua antropofagia cultural das filosofias do morro e do asfalto e as letras e ritmos contagiantes de sua música tem conquistado platéias por onde passa. [Fonte: marcelod2]

Marcelo D2 was born on November 5, 1967, in the north of Rio de Janeiro. Carioca Hot gem neighborhoods of the city valleys, hidden from postcards and away from the rich sidewalks of the sea. Active boy created between the hill and the asphalt Andaraí, moving the thin line between a boy falling into marginality. Working and turning since age 13, D2 is one of those cases boy born with a throbbing star talent and "wit". It was porter, street vendor, janitor, paperboy, furniture salesman, office boy. He lived where he could, as he could and was carrying. Every failure signal reversed in successful double. Leaving home early kept circulating. His childhood friends who were in the same neighborhood ended up being consumed by drug trafficking and gradually D2 lost close friends in armed confrontations. He served the army and soon after moved in with his girlfriend, at 19 years. The various forms of cohabitation that had during the years of adolescence and youth bore fruit in a wide influence of rhythms and musical styles, which later became evident in their music. The Planet Hemp had its embryo planted in Catete street, the chance encounter between D2 and Skunk early 90s D2 wore a T-shirt Dead Kennedys who was responsible for the beginning of the conversation between the two. Skateboarding, punk rock, underground, marijuana and attitude, a lot of attitude. The band's name was taken from the magazine High Times, specializing in cannabicultura. Later they joined Skunk and D2, Rafael (guitar), CONCRETE (bass) and Bacalhau (drums). With the death of Skunk, D2 did not quit the band called companions of his nights and Rio shows to share the vocals and joined the band Black Alien and B nigga. The official beginning of the band was in 1994. And in 1995 released their first album, "User" that alone sold over half a million records. The following albums "The dogs bark but the caravan not Stop" (1997), "The Canny Man invasion of Smoke" (2000) and "MTV Live Planer Hemp" (2001) received the platinum disc title and together sold nearly two million copies. Planet Hemp had a solid, bombastic career and they performed to audiences all over Brazil and also passed through Europe, Japan and the United States. As one of the leaders and founders of the band, D2 inaugurated the country an oppositional rock, heavy and rich in influences that ended once with the rock behaved 80s and updated the country in the international arena. With the end of the band, D2 felt it was time to get his way in search of their own sound. He had already taken the first steps in this direction with the release of his first solo album, "I Shot Is Wave" (1998). In the disk he put letters that talk about their life experience on a musical bed essentially hip hop, but with a spice of samba and trickery. The immediate success of the disc and the bandages exceeded 150,000 copies. In 2004 he took his own songs and deconstructed beat and batucada and put a band of 23 musicians on stage. An orchestra to "unplug" the hip hop, which was born "plugged" in pickups and samples has been reinvented to be reborn in D2 ideas. He then launched the MTV Unplugged Marcelo D2, with a collection of his hits from previous albums in acoustic versions. Live and with lots of percussion and a tuned band D2 gave an even more infectious sound to their music. The band went on tour and in travels around the world and Brazil D2 was gathering material for his latest release. His third solo album is "My Samba is so." In it, D2 brings music to your face in 15 previously unreleased tracks. For months, D2 received an enormous amount of bases of different DJs from around the country that became his most elaborate disc, with its characteristic mix of samba and hip hop with the elegance of the trickster and the wit of man. It participates stars of both worlds as it moves ZECA PAGODINHO, Alcyone and Arlindo Cruz Samba and Charli Tuna and Rap Marshal. The album was released in May 2006 and since its finalization in January expectations of critics and fans it was great. In June the album has also been released in Portugal and other European countries launched the drive during the summer. Soon after the release, D2 embarked on a two-month tour through Europe during the World Cup. This tour is the largest of a Brazilian artist in Europe and the United States today. It D2 performed at renowned festivals such as Montreux, Switzerland, Roskilde in Denmark Womex in England and even performed for 15,000 people in Los Angeles, in the traditional Hollywood Bowl. Outside, there is a great demand for his records, mainly on vinyl. D2 became a reference for international DJs like the name but expressive vanguard of Brazilian music. Its cultural cannibalism of the philosophies of the hill and the asphalt and the lyrics and infectious rhythms of his music has conquered audiences wherever he goes. [Source: marcelod2]

Total Time: 34 min

MAGLORE - Cores do Vento [EP]


Indie Rock
2009
Bitrate: 256 kbps
[cd quality]+

Advindo de Salvador-BA, o grupo formado por Teago Oliveira (voz e guitarras), Rodrigo Damati (voz e baixo) e Felipe Dieder (bateria), tendo em sua constituição original Teago Oliveira (voz e guitarras), Léo Brandão (teclado e guitarras) Nery Leal (baixo) e Felipe Dieder (bateria). Conceitualmente, fazem um rock “tropical”, sem, contudo, desacreditar do pop, levantando a bandeira de que pode – e deve! – haver qualidade no mercado popular. Com participação assídua em festivais de todos os portes como o FUN Music, de São Paulo (3º lugar, em 2009), Coca-Cola Zero – Desafio das Bandas (1º lugar, em 2009), Big Bands (2010), Feira Noise (2010), Festival de Verão Salvador (2010) e Rock de Cordel, em Fortaleza (2011), a Maglore veio, desde o seu início, ganhando o respeito e atenção do público e crítica. Além dos festivais, o grupo tem público cativo nos shows em Salvador e outras cidades da Bahia, se consagrando como destaque na cena independente baiana. Em âmbito nacional, o grupo tem viajado bastante e está acostumado a circular pelas casas de shows de vários Estados, principalmente no sudeste e nordeste. O contingente de pessoas que, a cada dia, descobre o Maglore e suas músicas, está crescendo. Em que pese independente, a banda sabe aproveitar as ferramentas que lhe estão à disposição para divulgar seu trabalho. Utilizando-se das mais diversas redes sociais, o grupo vem formando seu público, abrangendo fãs de todo o país. Com a virada do ano de 2011 a banda lança seu primeiro álbum, intitulado “Veroz”, feito de forma integralmente independente. A obra, musicalmente bastante heterogênea, é uma compilação de várias fases do grupo, misturando-se as canções do EP (2009) com novas composições e vertentes estéticas variadas do quarteto, de modo que as 13 músicas sintetizam toda a variação musical que a banda propõe. O disco, cuja produção é assinada novamente pelo renomado Jorge Solovera, chileno radicado em Salvador-BA, tem um conceito bem construído, que se reflete tanto nas músicas quanto na arte visual. Inspirado na obra do argentino Diego Gravinese (www.diegogravinese.com), o designer Igor Alessandro Andrade usou sua autenticidade para compor uma capa intrigante, conectada a um encarte extremamente autêntico, que conta a cada página a história das pessoas por trás da Maglore. O acabamento estético de “Veroz” é um reflexo do diversificado conteúdo musical da banda. Fugindo de conceitos, trata-se de um disco de música essencialmente popular. Feito para se cantarolar no chuveiro, nas ruas – e nos shows! – é um conjunto de músicas diferentes entre si, que, contudo, remetem a uma identidade musical própria, seja pelas letras, pelos timbres de guitarra ou pela estrutura das próprias canções. É um disco para se ouvir sem preconceitos, sem rótulos e de peito aberto, sobretudo porque foi feito com sinceridade. [Fonte: maglore]

Arising in Salvador, Bahia, the group formed by Teago Oliveira (voice and guitar), Rodrigo Damati (vocals and bass) and Felipe Dieder (drums), in its original constitution Teago Oliveira (voice and guitars), Léo Brandão (keyboard and guitars) Nery Leal (bass) and Felipe Dieder (drums). Conceptually, they make a "tropical" rock, without, however, pop discredit, raising the flag that can - and should! - Be quality in the popular market. With regular participation in festivals of all sizes as FUN Music of São Paulo (3rd in 2009), Coke Zero - Challenge of the Bands (1st place in 2009), Big Bands (2010), Fair Noise ( 2010), Summer Festival Salvador (2010) and Rock Cordel, in Fortaleza (2011), the Maglore came, since its inception, earning the respect and attention of the public and critics. In addition to the festivals, the group has captive audience at concerts in Salvador da Bahia and other cities, devoting as featured in Bahia independent scene. Nationally, the group has traveled extensively and is used to cycle through the venues of various states, mainly in the southeast and northeast. The number of people who, every day, discovers Maglore and their music is growing. Despite independent, the band know how to enjoy the tools that you are on hand to publicize their work. Using the most diverse social networks, the group has been building its audience, including fans from around the country. With the turn of the year 2011 the band released their first album, entitled "Veroz" made of fully independently. The work musically very heterogeneous, is a compilation of various stages of the group, mixing the songs EP (2009) with new compositions and different aesthetic aspects quartet, so that all the 13 music synthesize musical change the band It proposes. The album, whose production is signed again by renowned Solovera Jorge, a Chilean living in Salvador, Bahia, has a well-constructed concept, which is reflected both in music and in visual art. Inspired by the work of Argentine Diego Gravinese (www.diegogravinese.com), the designer Igor Alessandro Andrade used his authenticity to compose an intriguing cover, connected to an extremely authentic booklet, which account every page the story of the people behind the Maglore. The aesthetic finishing "Veroz" is a reflection of the diverse musical content of the band. Fleeing concepts, it is an essentially popular music disc. Made to sing in the shower, on the streets - and shows! - Is a collection of different songs to each other, which, however, refer to their own musical identity, either by letter, by guitar tones or the structure of own songs. It is an album to listen without prejudice, without labels and chest open, especially because it was made sincerely. [Source: maglore]

Total Time: 19 min

SAFRI DUO - Episode II


Dance
2002
Bitrate: 256 kbps
[cd quality]+

Total Time: 66 min

TALIB KWELI - Fuck The Money


Hip Hop
2015
Bitrate: 256 kbps
[cd quality]+

Total Time: 39 min

TAMMY WYNETTE - The Essential Tammy Wynette


Country Music
2013
Bitrate: 256 kbps
[cd quality]+