3 de dezembro de 2019

MUNDO LIVRE S.A. - O Outro Mundo de Manuela Rosário


Manguebeat
2004
Bitrate 256 kbps
[cd quality]+

A história do Mundo Livre S. A. começa no início dos anos 90, em Jaboatão dos Guararapes. Foi nessa cidade vizinha ao Recife que nasceu Fred Rodrigues Montenegro, hoje mais conhecido por “Zero Quatro”. Sua biografia dos tempos pré-música é a de qualquer criança de classe média da época. Ou seja, ele jogou futebol, ganhou um monte de irmãos, e cantou o hino nacional no pátio da escola, no caso o Colégio Militar, cujas marchas ainda hoje costuma cantar em noites de embriaguez.Foi em Jaboatão, também (mais especificamente no bairro de Candeias), que, ainda um teenager, ele descobriu o poder dos palcos. A memória mostra nosso herói junto com os amigos numa churrascaria, assistindo ao show de uma banda terrível quando, de repente, foi convidado para tocar pela primeira vez numa guitarra de verdade. Mágica! Daí em diante, ter uma banda passou a ser uma obsessão…Seu primeiro grupo de verdade foi o “Trapaça”. Estamos no início dos anos 80, época da explosão do punk brasileiro. A influência de bandas do ABC paulista como “Cólera”, “Olho Seco” e “Inocentes”, provocou o fim precoce do Trapaça e o surgimento de sua segunda banda, a “Serviço Sujo”. Gritando toda a paranóia em letras inspiradas no 1984 de George Orwell, Fred desfilava alfinetes, coturnos, uma velha e surrada pasta 007 e camisas pretas com slogans do tipo “Abaixo a Poesia”. Desfilava, também, um novo codinome: surgia o “Rato”, um sujeito e um som muito à frente de uma Recife fascinada ( uma minoria ) e indiferente ou francamente hostil ( o vasto rebanho ). O tédio dos anos 80 deixou a raiva do punk amadurecer, se transformar num cinismo calculado, e, assim, o “Serviço Sujo” deu lugar ao “Mundo Livre S. A.”, um nome de clara inspiração Malcom Maclareana, destinado a ridicularizar a guerra fria revisitada da presidência Reagan e as engrenagens da indústria do disco. O “rato” dos primórdios do punk se transformou, então, em “Zero Quatro”, disfarce inspirado nos dois últimos algarismos de sua cédula de identidade. Hoje, o Mundo Livre é uma unanimidade na música brasileira do novo milênio. As letras de Zero Quatro, narrando com rara poesia assuntos tão diversos como a globalização, as desventuras do Timor Leste ou as musas de biquini branco, estão entre as melhores do pop nacional. E ninguém no Brasil pós- colapso da modernização desvenda melhor os mistérios do samba que esses pernambucanos.

The history of the Free World SA begins in the early 90s, in Jaboatão dos Guararapes. It was in this town nearby Recife was born Fred Rodrigues Montenegro, today better known as "Zero Four". His biography of pre-music times is that of any middle-class child of the time. That is, he played football, won a lot of brothers, and sang the national anthem in the schoolyard, where the Military College, whose marches today often sing in embriaguez.Foi nights in Jaboatão, too (more specifically in the neighborhood Candeias), who, still a teenager, he discovered the power of the stage. The memory shows our hero along with friends in a steakhouse, watching the show from a terrible band when, suddenly, was invited to play for the first time on a real guitar. Magic! Thereafter, have a band has become an obsession ... his first real group was the "Con". We are in the early '80s, during the explosion of Brazilian punk. The influence of bands of ABC as "Cholera", "Dry Eye" and "Innocent", caused the premature end of Trickery and the appearance of his second band, the "Service Dirty". Screaming all the paranoia in letters inspired by George Orwell's 1984, Fred paraded pins, boots, an old and battered folder 007 and black shirts with slogans like "Down with Poetry". Paraded also a new codename: came the "Rat", a guy and a sound far ahead of Recife fascinated (a minority) and indifferent or downright hostile (the vast herd). Boredom 80s left the punk anger mature, become a cynically calculated, and thus the "Dirty Service" gave way to "Mundo Livre SA", a name clearly inspired Malcolm Maclareana, intended to ridicule the Cold War revisited the Reagan presidency and the recording industry gears. The "mouse" of the early days of punk turned then in "Zero Four" disguise inspired by the last two digits of your identity card. Today, the Free World is a unanimity in Brazilian music of the new millennium. The Zero Four letters, narrating with rare poetry subjects as diverse as globalization, the East Timor or the misadventures of the white bikini Muses are among the best national pop. And no one in Brazil post-collapse of modernization better unveils the mysteries of the samba that these Pernambuco. [Source: internet]

Total Time: 70 min


Nenhum comentário:

Postar um comentário